Objetivo - Instituto Educacional

Rua Aracaju, 226, Belo Horizonte, Marabá - PA
Telefone: (94) 3323-2086

Proposta
Pedagógica

Criança Estudando

A proposta pedagógica da escola possui natureza diferenciada e tem sua base em princípios essencialmente cristãos, que objetivam:

A formação de um caráter nobre e cristão, mediante o cultivo de bons hábitos morais;

A valorização da família, mediante integração entre lar, escola e comunidade;

O respeito às leis e às autoridades constituídas, na forma expressada pela palavra de Deus (a Bíblia Sagrada).

Ações Didáticas Pedagógicas

Disciplina e Educação Cristã

Conscientização Ambiental – Passeios e outros

Ética e Cidadania

Lazer e Diversão - Dia da Escola, Dia das Crianças e outros

Eventos Educativos e Projetos Semanais

Simuladinhos – 1º ao 5º ano

Feira do Conhecimento e Exposições Artísticas

Olímpiada interna entre outros

Educação Infantil (Maternal II ao Jardim II)

A Educação Infantil é uma etapa extremamente importante do aprendizado devido ao fato de os estímulos recebidos pelas crianças nos primeiros anos de vida definirem muito do seu sucesso escolar e do seu desenvolvimento. Ela se caracteriza pela disposição do aluno de se socializar e ampliar as experiências a que terá acesso na escola, de modo que venha a ser capaz de responder às grandes questões sobre Deus, a realidade, a verdade, o conhecimento, o ser humano, a ética, o direito, a vida e a história.

Nesse sentido, nosso objetivo é auxiliar a criança a dar os primeiros passos na formação de sua personalidade a partir de um ensino cristão, adaptado à sua etapa de desenvolvimento e obedecendo ao princípio bíblico de que a criança, ensinada no caminho em que deve andar, não se desviará dele durante toda sua vida até a velhice. Dentro desta perspectiva, a escola busca desenvolver no aluno a vivência em diferentes tipos de linguagem (linguagem oral, escrita, simbólica, visual, cênica etc.) e, desse modo, proporcionar condições para que possa se expressar, bem como se comunicar de diversas maneiras com o mundo que o cerca.

Maternal II – 3 anos

A criança de 3 anos não se desenvolve de forma linear. As mudanças ocorrem de forma gradual e estão relacionadas a fatores biológicos como também proporcionados pelos ambientes familiar e escolar.

A criança de 3 anos não se desenvolve de forma linear. As mudanças ocorrem de forma gradual e estão relacionadas a fatores biológicos como também proporcionados pelos ambientes familiar e escolar.

Faz-se necessário acompanhar a construção da sua personalidade, sempre respeitando que cada idade apresenta um jeito próprio de se manifestar. Tentar antecipar as etapas ou não estimular a criança no seu desenvolvimento pode gerar conflitos na vida adulta.

Portanto cabe à família e à escola conhecer e respeitar as etapas do desenvolvimento da criança de 3 anos.

A escola é um espaço coletivo de convivência onde as crianças estabelecem vários tipos de relação e, assim, se desenvolvem. A escola oportuniza a criança a experimentar aquilo que ela ainda não viveu. Portanto, quanto mais cedo à criança se envolve em interação social, mais benefícios obterá em curto ou longo prazo, tendo em vista as experiências e aprendizagens que resultam dessas interações.

A proposta para este segmento de ensino compromete-se em organizar atividades e experiências de ensino que repercutam em aprendizagem, estimulando-as para que sempre se desenvolvam mais.

Os livros didáticos propõe o desenvolvimento das operações mentais por meio de situações de ensino concretas, graduais e sistemáticas, as quais aproximam as crianças aos conhecimentos específicos dos diferentes aspectos da realidade. Os conteúdos escolares são entendidos como saberes culturais selecionados pela relevância social. Diante da impossibilidade de representarem-se todos os elementos da cultura no dia a dia da escola, torna - se necessária uma seleção de conteúdos que materializem as principais necessidades de desenvolvimento para o indivíduo.

Somando tudo isso, também os pequenos recebem cuidado e atenção e têm espaço para explorar, brincar e se conhecer. Têm espaço para explorar, brincar e se conhecer. Têm à disposição brinquedos e materiais que incentivam a expressão artística e estimulam a imaginação. Divertem-se com brincadeiras dirigidas. Mesmo sem saber ler, manuseiam livros. Cantam muitas cantigas de roda para desenvolver mais a fala, priorizando sempre a educação cristã no cotidiano escolar. Aprendem as vogais, as cores, seus nomes, as formas geométricas e outros mais.

Jardim I – 4 anos

A criança de 4 anos já dá sinais claros da sua independência, escolhendo uma roupa, se vestindo sozinha, escovando os dentes. Ela já não precisa da sua mãe para tudo. Conhece muito bem sua rotina e, normalmente, nem precisa receber ordens para colocar o pijama antes de ir para a cama, por exemplo. Em geral, sua relação com outras crianças é boa, já que na escola aprende a compartilhar trabalhar em grupo e ajudar o outro.

Já reconhece algumas letras do alfabeto e pode identificar seu nome escrito em uma folha de papel. Nessa fase, é possível notar que a sensibilidade dos pequenos é maior. Eles já se dão conta dos sentimentos dos outros e notam quando a mãe está triste, o irmão assustado e pai de mal humor. São capazes até de dar carinho, cuidar, quando notam que alguém está chateado. Seu senso de humor também é ótimo e a criança faz palhaçadas para fazerem os outros rirem.

A fase das curiosidades ainda não passou e agora eles querem saber sobre questões mais complicadas como o nascimento e a morte.

Infelizmente, nessa etapa, aparecem os medos infantis. Primeiro, se assustam com os monstros, com o escuro, e com o tempo, esses medos passam a ser abstratos, como o medo da morte e o medo de errar.

A escola é um espaço coletivo de convivência onde as crianças estabelecem vários tipos relação e, assim, se desenvolvem. A escola oportuniza a criança a experimentar aquilo que ela ainda não viveu. Portanto, quanto mais cedo à criança se envolve em interação social, mais benefícios obterá em curto ou longo prazo, tendo em vista em vista as experiências e aprendizagem que resultam dessas interações.

A proposta para este segmento de ensino compromete-se em organizar atividades e experiências de ensino que repercutam em aprendizagem, estimulando-as para que sempre se desenvolvam mais.

Os livros didáticos propõem o desenvolvimento das operações mentais por meios de situações de ensino concretas, graduais e sistemáticas, as quais aproximam as crianças aos conhecimentos específicos dos diferentes aspectos da realidade. Os conteúdos escolares são entendidos como saberes culturais selecionados pela relevância social. Diante da impossibilidade de representarem-se todos todos os elementos da cultura no dia a dia da escola, torna-se necessária uma seleção de conteúdos que materializem as principais necessidades de desenvolvimento para o indivíduo.

Nesta série, também aprendem a identificar e escrever o seu nome, o alfabeto, os encontros vocálicos números de zero a dez, grandezas e medidas, e formas e etc.

A escola prioriza sempre a educação cristã no cotidiano escolar.

Jardim II – 5

Nove mil. Esse é o total de palavras que o seu filho já é capaz de compreender. Lembra quando ele só conseguia falar umas cinco?

Até os 5 anos de idade todo o desenvolvimento neuropsicomotor se completa. Não é exagero chamar de revolução as mudanças que ocorrem entre 1 e 5 anos na vida de uma criança.

Nessa fase, o cérebro finaliza suas ligações. Agora, ela já deixou completamente de ser um bebê dependente e indefeso para se transformar em uma criança autônoma, que faz amizades, é capaz de comer e de raciocinar sozinha.

Com essa idade a criança não precisa de tantos cuidados e atenção para realizar suas atividades diárias e já consegue até ajudar nas tarefas de casa, colocando a mesa, guardando a louça e arrumando seu quarto.

Até os 5 anos, a criança compreende cerca de 9 mil palavras e já está entrando na fase de alfabetização.

Tem confiança nela mesma e se separa da mãe com mais facilidade, especialmente quando é para brincar na casa de um amiguinho ou dormir na casa da vovó. Isso acontece porque se sente segura mesmo estando longe dos pais. Ela entende as situações, sabe que pode ligar para a mãe quando quiser e que ela voltará para busca-la.

A criança de 5 anos está aprendendo o valor das amizades e dá muita importância a elas. Quer aproveitar todos os momentos para brincar, inventar jogos e estar perto da sua turminha de amigos.

A escola é um espaço coletivo de convivência onde as crianças estabelecem vários tipos de relação e, assim, se desenvolvem.

A proposta para este segmento de ensino compromete-se em organizar atividades e experiências de ensino que repercutam em aprendizagem, estimulando-as para que sempre se desenvolvam mais.

Os livros didáticos propõem o desenvolvimento das operações mentais por meio de situações de ensino concretas, graduais e sistemáticas, as quais aproximam as crianças aos conhecimentos específicos dos diferentes aspectos da realidade.

Já entrando na fase de alfabetização, as crianças aprendem as famílias silábicas, começam a formar palavras através de textos e outros, e, consequentemente, começam a ler palavrinhas. Aprendem também os números até o 50, igual e diferente, operações simples de soma e subtração, e etc.

1º ano (alfabetização) – 6 anos

Agora a criança já é quase capaz de ler e escrever, algumas já até conseguiram esta conquista. A vida escolar começa a ser mais intensa.

A criança de 6 anos tem capacidade e habilidades diversas. Consegue distinguir grupos e tipos de coisas e separa objetos conforme sua categoria: doces, salgados, frutas, legumes, pães.

Começa, a saber, os dias da semana, distinguem a mão direita e esquerda, o dia e a noite, as estações do ano, reconhece os números e as letras do alfabeto.

Nessa fase começa realmente o aprendizado da leitura, que é um grande passo no desenvolvimento intelectual da criança. Em pouco tempo, eles escrevem o nome completo e logo começam a usar a escrita para se expressar. Também aprendem a diferença entre uma palavra, uma frase um parágrafo. Começam a usar apropriadamente as letras minúsculas e maiúsculas e aprendem como escrever em uma página, da esquerda para direita e de cima para baixo.

Os desenhos não são mais simples rabiscos, e sim quadrados, círculos, casas, carros e outros objetos bem definidos.

A criança de 6 anos domina totalmente o sistema fonético. Não encontra nenhuma dificuldade em reproduzir sons e fonemas complexos como “tra-lha”, por exemplo.

Quando atinge essa idade, os pequenos apresentam uma boa noção da realidade. Já sabem distinguir histórias reais e faz-de-conta. Socialmente, geralmente sabem como se comportar nas mais diversas situações, obedecem a regras e cooperam com os pais e professores.

A escola é um espaço coletivo de convivência onde as crianças estabelecem vários tipos de relação e, assim, se desenvolvem.

A proposta para esse segmento de ensino compromete – se em organizar atividades e experiências de ensino que repercutam em aprendizagem, estimulando – as para que sempre se desenvolvam mais.

Os livros didáticos propõem o desenvolvimento das operações mentais por meio de situações de ensino concretas, graduais e sistemáticas, as quais aproximam as crianças aos conhecimentos específicos dos diferentes aspectos da realidade.

Instituto Educacional Objetivo © 2014 | Política de Privacidade